A taxa de ocupação de UTIs é de mais de 80% em leitos públicos e mais de 90% na rede particular.

Filho de dona Maria Elizabeth, em frente ao Nestor Piva — Foto: TV Sergipe/Reprodução

Familiares de pessoas diagnosticadas com a Covid-19 estão reclamando da demora em encontrar leitos de UTIs em hospitais em Sergipe. A taxa de ocupação de UTIs, segundo a Secretaria de Estado da Saúde, é de mais de 80% em leitos públicos e mais de 90% na rede particular nesta terça-feira (9).

Um dos casos é de Maurilio Silva dos Santos, de 60 anos, que aguarda há oito dias por um leito. Ele é usuário do Ipesaúde, e deu entrada no Hospital Regional da cidade de Neópolis, onde mora, no dia 2 de março. Foi transferido no sábado (6) para um leito de enfermaria Hospital de Propriá, mas segundo a esposa, Ana Sueli, 54, ele precisa ser internado em uma UTI.

“Ligo para a assistência social todos os dias, mas sempre tem alguém na frente dele. Pelo que venha sendo informada pelos boletins médicos, a tendência é ir piorando. A saturação está baixando”, disse.

Segundo a assessoria de comunicação do Ipesaúde, durante a manhã desta terça surgiu uma vaga, mas não informou em qual hospital. Até o início desta tarde, a esposa do paciente ainda não havia sido comunicada.

A mãe de Anderson Santos, dona Maria Elizabeth dos Santos, 67, também está internada em uma enfermaria, no Hospital Nestor Piva, em Aracaju. Ela aguarda transferência para uma unidade de terapia intensiva desde a sexta-feira (5).

“Ela deu entrada na quarta, com falta de ar. Fez o teste para a Covid na quinta e deu negativo. O quadro foi piorando e desde sexta ela está precisando de uma UTI. Só no domingo fizeram um novo teste. O resultado saiu hoje, e foi positivo”, informou o filho.

Ainda segundo ele, a assistência social do hospital comunicou, no início desta tarde, sobre a transferência da mãe. Mas ainda não há informações sobre horário e unidade que ela será levada.

Regulação

A SES informou o Sistema Interfederativo de Garantia de Acesso Universal (Sigau) do estado monitora todos os leitos hospitalares, e após análise de cada caso, é feita a transferência. A espera pode durar até 6h para leitos não especializados e, de 24h a 48h, para os especializados. Em média, são feitas de 8 a 10 regulações por dia. Nesta quarta, 11 novos leitos foram instalados no estado.

Por G1 Sergipe

Deixe uma resposta