Feridas em pés diabéticos, lesão por pressão em idosos, úlceras vasculares, feridas operatórias , queimaduras, são situações que afetam a qualidade de vida e podem levar a hospitalizações devido complicações das feridas.

Os diabéticos são um grupo de alto risco para desenvolver lesões nos pés devido à redução da sensibilidade plantar. Muitas vezes as lesões não são percebidas e evoluem para infecções e até perda do membro , amputação.

A enfermeira especialista e Estomaterapeuta Marcelly Silva explica que a associações de tratamentos avançados em saúde, como a Laserterapia de baixa intensidade e a ozonioterapia , guiados pelo uso da termografia são alternativas contra a amputação em pés diabéticos.

A laserterapia já é utilizada em grandes centros de tratamentos de feridas no Brasil, como por Complexo Hospitalar da Zona Noroeste em Santos, no Ambulatório do Hospital Anchieta em São Bernardo dos Campos.

A terapia a laser pode promover alívio da dor e cicatrização mais rápida. A energia que o laser transfere a ferida modula os processos fisiológicos, através de reações biofisicoquímicos, de forma que a cicatrização ocorra mais rápida e com menos dor.

Contribuindo dessa forma na redução de amputações em pés de pessoas com diabetes, menor risco de infeções, redução de hospitalização por complicações causadas pelas feridas. Nesse contexto uma melhor qualidade de vida a população Aracajuana.

Dra Marcelly Silva Dourado
Fundadora da empresa TALS / Tratamento Avançado de Lesão e Saúde em Aracaju
Contatos: 79 998210216 – WhatsApp
Instagram

Deixe uma resposta